loader-logo

Método BLW: Vantagens e Desvantagens

Quando terminei a pós-graduação em Nutrição Materno-infantil, o tema do meu trabalho de conclusão de curso foi sobre o método de introdução alimentar BLW. Naquela altura, ainda era um método que estava chegando no Brasil e as pessoas não estavam bem familiarizadas com ele.


Agora, apesar de já estar melhor estabelecido, com o atendimento em consultório percebo que ainda há muitas dúvidas, inseguranças e preocupações em relação ao BLW.

BLW

Para entender um pouquinho mais, vamos dar uma olhada mais a fundo…

O BLW (baby-led weaning), traduzido para o português como “alimentação guiada pelo bebê”, “autorregulada” ou ainda “introdução alimentar participativa” é uma das diferentes formas de apresentar ao bebê suas primeiras comidinhas (pois antes disso o bebê estava consumindo apenas leite).

A filosofia por detrás do BLW consiste em permitir que o bebê coma sozinho desde o início (a partir dos 6 meses), não havendo então a necessidade de lhe preparar papinhas ou purês.

Mas…. Como assim? Eu dou os alimentos inteiros ao bebê? Inteiros não, mas na forma de pedaços de alimentos macios para que o bebê consiga agarrá-los com as mãos, levá-los à boca, mastigá-los (com as gengivas, se os dentinhos ainda não tiverem nascido) e engoli-los quando se sentir preparado.

Não inclui quaisquer talheres ou o fato de alimentar o bebê dando-lhe os alimentos às colheradas – ou seja, quem decide tudo… é o próprio bebê!

A família apenas incentiva-o a se alimentar, com os mesmo alimentos que a família está habituada a consumir (com os devidos cuidados, é claro).

O bebê escolhe, agarra, traz à boca e come por sua própria vontade.

A forma como a alimentação complementar é conduzida pode afetar o ganho de peso e as futuras atitudes alimentares do bebê, então é muito importante estar atento e escolher qual a melhor forma para fazer a introdução alimentar, aquela que melhor atende a sua família.

Quais são as vantagens do método BLW:

  • Oferecer ao bebê a oportunidade de explorar diversos sabores e texturas desde o início, promovendo assim a aceitação de uma maior variedade de alimentos;
  • Prevenir a alimentação em excesso – pois estimula que seja o bebê a levar a comida à boca, permitindo-lhe melhor controle da quantidade que ingere;
  • Ajudar no desenvolvimento das capacidades motoras do bebê;
  • Facilitar a formação e a adaptação do paladar aos sabores dos alimentos naturais desde o início (pois são esses alimentos que serão oferecidos), ao invés das papinhas prontas disponíveis para compra;
  • Incentivar os pais e cuidadores a partilhar pratos saudáveis com os filhos à mesa em família;
  • Ensinar os bebês a comerem sozinhos, através do exemplo dos pais;
  • Desfrutar das refeições feitas em família;
  • Estimular a mastigação e com isso, o desenvolvimento oral e da fala;
  • Incentivar o respeito pelos sinais de fome e saciedade, bem como do ritmo alimentar de cada criança;
  • Contribuir para ajudá-lo a desenvolver bons hábitos alimentares, prevenindo assim o excesso de peso e a obesidade infantil;
  • Economizar tempo e esforço, uma vez que será preparada uma única refeição para toda a família (com as devidas adaptações), não havendo a necessidade de fazer uma comidinha só para o bebê;
  • Menor ansiedade e estresse durante as refeições, pelo método ser mais simples e conveniente.
BLW

E as desvantagens do BLW:

  • A necessidade de ter atenção quanto à composição do pratinho do bebê, para que não hajam excessos (de gorduras saturadas, por exemplo) ou deficiências nutricionais (principalmente de ferro e de energia);
  • Para algumas famílias, a preocupação com os engasgos é um medo constante. Nesse sentido, optar pelo BLW pode ser uma desvantagem se causar um ambiente estressante para toda a família;
  • Nem sempre o bebê se adapta a essa metodologia, mesmo que essa tenha sido a opção da sua família. É preciso também compreender o seu bebê e reconhecer as suas preferências;
  • Quando as pessoas desconhecem algo, tendem a desconfiar. Então, esse método pode parecer muito estranho para amigos e familiares, levando a família a ter que lidar com palpites e críticas;
  • A bagunça! (apesar da bagunça estar sempre presente, qualquer que seja o método escolhido pela família). A boa notícia é que os bebês desenvolvem suas habilidades motoras rapidamente e essa fase passa mesmo muito rápido.

E com o seu bebê? Me conta um pouquinho como tem sido? Vou adorar saber.

E antes que eu me esqueça! Quer uma ajudinha para saber se seu bebê já está pronto para a introdução da alimentação complementar? Baixe aqui seu Guia dos Sinais de Prontidão! É gratuito 😉

BLW

Bibliografia:

WHO. World Health Organization. Complementary feeding: Family foods for breastfed children. Geneva: World Health Organization; 2000.

D’Auria1, E.; Bergamini, M.; Staiano, A.; Banderali, G.; Pendezza, E.; Penagini, F.; Zuccotti, G. V.; Peroni, D. G. Baby-led weaning: what a systematic review of the literature adds on. Italian Journal of Pediatrics (2018) 44:49



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.